Por um mundo com menos hipocrisia e mais beijinho no ombro



Todos já ouvimos ao menos uma vez na vida,aquela velha frase: "já não se faz mais músicas como antigamente",e eu realmente não consigo entender o motivo de toda essa crítica negativa que surge em relação à tudo que é novo no mundo da música brasileira.Chega a ser trivial dizer que tudo que surge no cenário musical ou faz sucesso hoje em dia,é rapidamente tachada de ruim por uma porção de indignados defensores "da boa cultura" e dos "bons costumes"
   As redes sociais nos permitiram ampliar nossa visão de mundo em todos os sentidos,mas parece que seus usuários tem uma tendência a reduzir seu campo de visão,e elas trouxeram consigo aquela galera que sempre reclama de quem abrevia palavras na internet,costuma jogar aleatoriamente uma palavra em inglês enquanto conversa,que adora MPB,música,clássica e ópera,aprecia filmes do Stanley Kubrick,pinturas do Andy Warhol e coisas do gênero.É,os chamados pseudointelectuais estão mais presentes do que nunca,e sempre tem uma crítica muito bem fundamentada para expor em seu facebook sobre tudo o que surge de novo no mundo da música,sou totalmente a favor da liberdade de expressão,e sou mais a favor ainda do respeito ao livre arbítrio que tooooodos temos de ouvir o que bem entendermos, e se aquela música "modinha"que você odeia,sempre toca em todos os lugares é porque existem pessoas,MUITAS pessoas que gostam,e o conceito de democracia todos devem saber.
   Agora um exemplo:eu não consigo me conformar com o que o funk foi e vem se transformando,e muitas pessoas detestam,odeiam e demonizam o funk,principalmente os amantes do bom e velho rock n' roll,acontece que algumas músicas não foram feitas para você refletir,pensar na vida ou ouvir enquanto você volta pra casa depois de um dia bem cansativo,eu não ouço algumas músicas mas o meu gosto musical não me dá autoridade para dizer o que é uma "boa música",acontece que existem muitas músicas que não foram feitas para você.Os cantores de MPB atualmente são considerados fracos,se comparados à Elis Regina,Chico Buarque e Caetano Veloso,mas música não foi feita para ser comparada.O funk costuma gerar muitos debates por seus discursos sexistas o que ainda é um tabu na sociedade brasileira,mas o funk carioca com seu "beijinho no ombro",é um produto cultural que visa o lucro,e temos que aprender a conviver com isso.
   Não sei se ficou claro, mas o que me encanta na humanidade é a diversidade cultural,eu acho tão legal ter amigos que gostam de funk,outros que gostam de rap,e outros com quem eu posso comentar sobre Led Zeppelin e Pink Floyd,e nunca irei postar nada que ofenda quem gosta,primeiramente porque as pessoas não vão deixar de ouvir por isso,e segundo porque tenho que aprender conviver até mesmo com aquilo que eu não gosto.
   Por fim,estou ciente de que minha opinião com toda certeza não será compartilhada por todos,ainda assim aguardo ansiosamente pelo dia em que todos vão conseguir guardar para si sua falta de afinidade com o que quer que seja,que mesmo não gostando de forró vão se divertir horrores sempre que tocar em alguma festa,vão procurar entender a letra daquela música do Zé Ramalho que considera coisa de gente velha,e nesse dia a internet e o mundo inteiro se tornará um lugar bem melhor ♥