A nova geração da música brasileira, que não você não ouve por aí.

                     


“No mais, mesmo, da mesmice, sempre vem a novidade”. A citação é do célebre mineiro João Guimarães Rosa e poderia, com facilidade, se encaixar na cena atual da música brasileira. De norte a sul, ela sempre vai se manifestar e se redescobrir. Há aqueles que defendem a ideia de que tudo já foi feito, mas existe uma infinidade de artistas que se expõem com frequência em nosso país, desde uma sonoridade diferente de tudo que você já ouviu àquela que remete a sons consagrados.
  E chega a ser exorbitante a quantidade de artistas novos que você encontra, quando passa a se dedicar a conhecer o novo cenário da música brasileira, bandas e artistas que vêm representando a música brasileira do século XXI, mas que provavelmente, você não ouve tocando na programação das rádios comerciais do país ( com as devidas exceções, é claro), e muito menos nas trilhas sonoras de novelas.
  É claro que nomes como Marcos e Belutti, Jorge e Mateus, Luan Santana, Henrique e juliano, Lucas Lucco entre outros artistas, famosos por seu sertanejo universitário, e que emplacaram um sucesso estrondoso no país, não chegaram ao topo da lista de mais tocadas no país à toa, não adianta choramingar, eles não chegaram ali da noite pro dia e também não vão sumir assim. Mas enfim, que tal ir um pouco além das músicas mais tocadas nas rádios do Brasil ?

Mallu Magalhães



Mallu Magalhães é uma jovem cantora paulista e uma das primeiras artistas da geração que utilizou a internet como plataforma de divulgação de seu trabalho. O resultado foi que a cantora e multi-instrumentista virou fenômeno na internet e possui uma legião de fãs.


         


Felipe Cordeiro




Esse paraense possui dois registros musicais, Kitsch Pop Cult e Se Apaixone Pela Loucura do Seu Amor. Embaixador da sonoridade quente, que há alguns anos saiu de Belém e tomou o Brasil, seu brega relido tem como marca a guitarra do norte do país e mostra ritmos dançantes, como carimbó  e lambada, unidos a temáticas universais.






Tulipa Ruiz


Nascida em Santos, ela cresceu em meio à música. Com um estilo brasileiríssimo, sua músicas mostram bem algumas outras referências latinas na nossa bossa, com um toque de pop e rock. Em 2010, lançou o seu primeiro álbum, Efêmera , que ganhou elogios da crítica pelos seus arranjos simples unidos à poética das suas letras. Além de ser um grande nome da atualidade na música, ela desenvolve a arte gráfica de seus álbuns.





Marcelo Jeneci


O paulistano, através de seu pai, aprendeu a tocar vários instrumentos quando era jovem. Ele já compôs ao lado de Vanessa da Mata, Arnaldo Antunes e Zélia Duncan. Seus arranjos, unidos à beleza de suas letras, são muito bem vistos pela crítica.





Cícero


Com uma voz muito bela, faz uma música com grande simplicidade unida à profundidade das letras e à sutil melancolia. Ele consegue moldar muito bem o seu estilo, mesmo em contato com diversos parceiros musicais. Seu primeiro álbum canções de apartamento, foi elogiado por músicos de peso.






      Silva



Com uma voz cada vez mais reconhecida e adotando apenas o nome Silva, esse capixaba faz um som acima da média. Sem medo de soar cafona, o multi-instrumentalista Silva exibe um desenho musical que entrelaça sua formação clássica com elementos eletrônicos, música brasileira e outras referências.





Lia Sophia



Lançado em 2013, o disco homônimo de Lia Sophia traz ritmos dançantes como o carimbo e coloca a cantora como umas das promessas de sua geração.




Vivendo do Ócio


Considerado por mim e por alguns críticos com “ a salvação do novo rock brasileiro”, a banda vem arrastando elogios por onde passa e se destacando como atração de grandes festivais.


Banda do Mar


O projeto marca uma nova fase dos músicos Marcello Camelo e Mallu Magalhães, que foram morar além-mar e se juntaram ao português Fred Ferreira, baterista do Buraka Som Sistema. O resultado foi um som poético e para cima, que celebra, em diferentes camadas, o amor e a amizade.



Tiê



Há algum tempo atrás, se alguém me perguntasse se eu gostava/ conhecia Tiê, eu responderia com toda minha sabedoria, que me recordava que ela havia feito um cover de Você não vale nada mais eu gosto de você do Calcinha Preta, que por mais que acreditasse que não daria certo, ficou incrível. Hoje com toda sabedoria e competência ela faz parte de um seletivo time de artistas que conseguiram levar o MPB para o topo das paradas de sucesso no país.